Simpósios

SIMPÓSIOS TEMÁTICOS PARA INSCRIÇÃO DE COMUNICAÇÕES

1. Testemunho e Testimonio: problematização e procedimentos de investigação

Elielson Figueiredo

Esta sessão intenta reunir comunicações de trabalhos acerca dos textos que reescrevem o horror dos regimes totalitários europeus bem como os que revisam as histórias latinoamericanas de lutas sociais contra Estados ditatoriais. Também esperamos receber trabalhos que proponham revisão da crítica acerca dessa literatura que testemunha a violência no seus diversos e terríveis modos de efetivação.


2. Literatura, história e intermidialidades

Valéria de Castro Fabrício e Deivis Jhones Garlet

Entendendo as relações intermidiáticas como aquelas que privilegiam o estudo, cooperação e colaboração entre as mídias e formas artísticas, propomos uma linha de trabalho que enfatize as relações entre literatura e os atuais produtos culturais os quais apresentam “deslizamentos” e “imbricamentos” cujas ocorrências sinalizam a ausência de limites, definidos, entre arte/mídia e literatura. Nesse sentido, tomando-se por paradigma pensadores como Antônio Candido, Mikhail Bakhtin, Georg Lukács, Walter Benjamin e Fredric Jameson, entre outros, esta linha temática convida à divulgação dos trabalhos que relacionem literatura, história e cinema, sobretudo nos fenômenos artísticos que expressam um contraponto simbólico às diversas formas de opressão e violência, especialmente em contextos ditatoriais.


3. Gênero, identidade e autoritarismo

Lizandro Calegari e Adriana Yokoyama

Esta proposta procura abrigar trabalhos que se dedicam à análise de questões relacionadas à formação de gênero e de identidade em contextos autoritários e patriarcais. Assim, poderão integrar esse eixo aquelas comunicações que visam à análise de obras literárias e/ou cinematográficas que voltem o seu olhar para a opressão do negro, das mulheres e dos homossexuais, entre outros grupos considerados marginalizados, dentro de contextos sociais e históricos específicos.


4. Perspectivas teórico-metodológicas dos estudos comparativos e seus interstícios entre textos e mídias.

Edgar Gonzales Galán

Atualmente, na construção dos objetos de estudo da Literatura comparada é fundamental revisar as mudanças que removeram a sua metodologia ao incorporar elementos extratextuais., os vínculos da Literatura com outras disciplinas são tão frequentes que é preciso analisar constantemente o contexto epistemológico sobre o qual esses vínculos se sustentam para criam novas alternativas de correspondência entre as mídias, explorando assim as relações entre universos ficcionais, suas linguagens e diálogos, além de otimizar sua recepção em espaços fora da Academia. Sob essa ótica, o objetivo do eixo temático é refletir em torno as questões: Qual que é o objeto de estudo dos estudos literários comparativos na atualidade? Qual a sua metodologia? Como que é o seu impacto na sociedade contemporânea?


5. Escritas de si: entre a Memória e a História

Mara Lúcia Barbosa da Silva e Carla Lavorati

A memória é tanto um espaço simbólico, de luta pelo controle do discurso e do saber, como espaço fronteiriço, de cruzamento entre individual e coletivo. Portanto, além dos mecanismos individuais, ela é acionada por diferentes marcas históricas e coletivas, que conforme Pollak tornam-se “[…] elemento (s) constituinte (s) do sentimento de identidade, tanto individual, como coletivo, na medida em que ela é também um fator extremamente importante do sentimento de unidade e coerência de uma pessoa, ou grupo na reconstituição de si” (1992, p. 205). Nesse sentido, o objetivo desse eixo temático é reunir discussões cujas temáticas envolvam as escritas de si, sejam elas correspondência, diários, relatos nos quais possamos vislumbrar o entrecruzamento entre memória e subjetividade, de um eu que escreve tocado pelo mundo no qual se insere, e de como as questões políticas, culturais e sociais reverberam na sua escritura.


6. Literatura, resistência e pós-colonialidade

Chimica Francisco

Poderão ser propostos trabalhos que privilegiem a análise de obras das literaturas africanas de língua portuguesa (poesia, conto, romance), do século XX à contemporaneidade, versando sobre violência, autoritarismo, opressão, gênero, estudos culturais, tradição entre outras temáticas que consubstanciem resistência, veiculando as relações de poder que sempre estiveram subjacentes, antes, durante e após a dominação colonial portuguesa.